19 de janeiro de 2010

Palavras que jorram dos pulsos

Corta-me os pulsos. Não um risco cirúrgico qualquer a bisturi ou faca da cozinha. Vai buscar o machado, a serra eléctrica e corta-os totalmente, arranca-os à dentada, tira-os do sitio como se fosse um filme do Tarantino! Faz como ele. Deixa-me gesticular sem mais, ferozmente. Fazer o sangue jorrar de encontre as paredes brancas e estéreis. Rendilhadas de vermelho quente penetrante. Agarra-me pelos braços para que fiques manchado de sangue também enquanto tento fugir-te. Sente a queimar cada gota na tua pele, na tua cara, que é a minha e arde… Assim, velozmente, litro a seguir a litro, a cor muda. Despejo líquidos de pensamentos e palavras que passam de rosado intenso para branco pálido. Do querer para a intenção. Do sentir para a ilusão. Vê como as gotas incandescentes te acordam da letargia e te fazem renascer. Choques eléctricos de enguias fora do oceano. Mar é agora o chão que pisamos, não tarda nadamos como peixes fora de água. Sem sal. Apenas ferro intenso. Branco imenso sou eu sem ti nem sangue. Fica escrito nas paredes as palavras que jorraram dos pulsos e calaram da boca.

10 comentários:

|\|€§§i|\||-|@ disse...

Bem linda... bom... muito muito bom.... fizeste-me submergir num quadro tão intenso que quase fikei preocupada contigo... imaginei uma doente do gabinete 5 a falar... hehe :) demais... MUITO MUITO BOM

Beijokas grandes

Lina disse...

É no sangue fervilhante que corre a vida, a emoção e todo o descontrolo das palavras que tão persistentemente calamos.

IsaCruz disse...

Como sabes digo sempre o que penso. Confesso que este texto tem uma parte demasiado "agreste". E que tal um pouco mais de "calmaria"... Será que estou a ficar sensível?
Bj

Luís B. disse...

Vermelho no branco estéril... Gosto... Às vezes, precisamos q alguém nos "corte os pulsos"... Imagem "agreste"? Não, intensa. Fico sempre c medo destes meus comentários: mais 1 vez, se vão contra o q quiseste transmitir, mil perdões pl minha ousadia.

CarMG disse...

Nessinha... até eu chegar ao Gab 5, ainda falta um pouquinho... subiria paredes que nem uma aranha, primeiro!! Mas, afinal... queres melhor terapia do que esta para afastar demónios? ;) Despejo liquidos de pensamentos e palavras por aqui, só para evitar o divã...

CarMG disse...

Lina...

é no sangue que fervilha a vida e, quanto mais quente, mais vivo e veloz. Quanto mais arde... mais queima! Quanto mais intenso, menos as palavras ficam nas paredes e mais florescem aos lábios...

CarMG disse...

IC...

honestamente, não o acho agreste, apenas fortemente colorido. terei escrito outros mais fortes, a meu ver... de quem escreve... nunca substimando o ver de quem lê...

CarMG disse...

Luís...
... que bom que é saber que continuas a passar :)

Concordo contigo ao dizeres que precisamos que alguém, às vezes, nos corte os pulsos. Por vezes precisamos de ser acordados de uma certa letargia em que nos habituamos a viver. Mais uma vez... o hábito... mais agreste do que qualquer sangue derramado em paredes literárias...

Ah, sem medo algum dos teus comentários!! Força aí que cá fico à espera deles :)

Maçã e Canela disse...

Corta-me os meus.

CarMG disse...

Não corto não, que os quero inteiros!!!! Inteirinhos da silva ;) Para o boxe!!!!!!!!